terça-feira, 3 de outubro de 2017

Caminhando pra São Francisco Xavier/SP e Acampando no Camping Canto dos Pássaros

No feriado de 7 de setembro fomos pra São Francisco Xavier, distrito de São José do Campos, em São Paulo.

De Niterói/RJ até lá levamos pouco mais de 6 horas, seguindo pela Via Dutra até Caçapava e depois indo em direção a Monteiro Lobato. Foram 30 km a menos do que ir até São José dos Campos e pegar a SP-050. Atravessamos um pequeno trecho de serra onde a estrada era estreita e não havia pavimentação. Se a viagem for durante o dia, recomendamos essa rota, no entanto, se viajar à noite, o melhor é seguir por São José dos Campos.

Fomos devagar, parando, totalmente entregues ao desconhecido. Na verdade a gente não tinha a menor ideia do que iríamos viver nesses dias em São Xico (já com a liberdade e intimidade que nos demos direito, pra chamar o lugar dessa forma)

O Sylvio que é bom de roteiros!  Ele que inicia o processo de descoberta de lugares legais. 

Funciona assim... escolhemos a direção (pro norte ou pro sul?), mais o menos a distância (em tempo, aproximadamente, 6 horas é a nossa distância pra sair e chegar no mesmo dia e montar a "Lindona", ainda com claridade).

Aí começa o GPS (Grandes Pesquisas do Sylvio) daqui de casa a funcionar. 

Pesquisa começa no Google com a busca dos "campings legais".  Ele encontra no site "O CAMPISTA", do Sr. Luiz, no post dos "Melhores Campings".

E aí, foi ler sobre o Camping Canto dos Pássaros... gostou das fotos e informações. Enfim... um camping super bem avaliado. Foi feito contato com o Estevan, dono do Canto dos Pássaros, junto com a Tainá, e fizemos o depósito de 50% do valor do pacote de feriado (diária + café da manhã). 

E fomos animados pra São Xico, seguindo a canção...



Tínhamos  a previsão de uma série de roteiros pra fazermos durante o período que estivéssemos na região, como: Gonçalves, Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí, Monteiro Lobato... 

Fomos recepcionados pelo Estevan, com todo carinho e atenção do primeiro contato. Quase chegar na casa de sobrinhos queridos. (porque poderiam ser nossos sobrinhos ou filhos, já que são um casal bem jovem). Fomos os primeiros a chegar no camping. E a "Lindona" foi pousar sob um pé de manacá florido e perfumado. Quase abracei a árvore de tão linda!




O camping é pequeno. Comporta mais ou menos 10 a 12 barracas, dependendo do tamanho que sejam. Assim, fica um espaço tranquilo pra circulação, onde as crianças podem correr a vontade e os campistas não se sentem apertados em seus espaços.

Só a Lindona

 Camping com lotação máxima

O Canto dos Pássaros é todo gramado e plano, na área das barracas. O terreno da propriedade é em declive e em platôs.

No platô mais próximo à estrada, portão principal, é a casa do Estevam e Tainá, onde fica a recepção e local do café da manhã (sobre as iguarias da Tainá eu falo daqui a pouquinho). Também fica a área de estacionamento.





Existem postes no camping apenas para a iluminação. Não contam com tomadas na área das barracas, mas na sala de convivência e na cozinha comunitária existem tomadas. Energia é 220V.
Assim, se for o caso, leve luminárias ou lampiões para iluminar sua barraca.

Poste e área de fogueira (que ilumina e aquece)








Já que mencionamos a cozinha comunitária,  vamos dizer que é a cozinha mais bem equipada que vimos até agora em um camping. Tem 2 geladeiras, micro ondas, fogão de 4 bocas com forno, duas pias, uma churrasqueira, mesas e bancos. Além disso, panelas, pratos e talhares. Tudo pra se cozinhar lá mesmo.






Existe uma churrasqueira próxima das áreas da barraca.




Os banheiros com mesmo espaço, tanto feminino, quanto masculino: 2 vasos sanitários e 3 chuveiros elétricos. Super limpos, mesmo com a capacidade máxima de ocupação no camping.




O rio que beira o Canto dos Pássaros, é limpo e tem uma pequena área de prainha.



Além das barracas existem os 6 chalés: 3 são com banheiro, frigobar e uma varandinha com vista pro rio e mais 3, apenas apenas com cama. Estes utilizam também o banheiro do camping.


O café da manhã é feito pela Tainá com todo carinho e capricho. Um café com produtos locais, como o leite, queijos e frutas e os pães bolos e geleias são elaborados por ela, com ingredientes integrais e orgânicos, super deliciosos.






No camping não tem sinal de wifi, nem de celular e tv. Dessa forma, você se desconecta do mundo pra descansar da cidade grande e percebe que é possível viver sem tanta informação. Mas, em caso de emergência, se for preciso entrar em contato com alguém ou vice-versa, há o telefone fixo do camping e também pode-se ir até o centrinho de SFX e olhar seu face, whatsapp, e-mails, etc... etc... 

Pra resumir... o Canto dos Pássaros é um camping super bem cuidado. Limpeza impecável. Em todos os espaços nota-se que os donos têm carinho especial  pelo lugar. Esse é um super diferencial.

No dia seguinte a nossa chegada fomos fazer a trilha para o mirante do Pouso do Rochedo. Ele inicia dentro da pousada com o mesmo nome. Para fazer a trilha tivemos que pagar 30,00 por pessoa, o que é um preço bem alto, diga-se de passagem. Mas, a trilha é bem cuidada e sinalizada. 


Pegamos a trilha dos Tropeiros, onde passamos por várias cachoeiras: da Mata, dos Taperás, da Mina e da Escada. 








 Pela Pedra Suspensa com a piscina natural


Percorremos 2 km até o Mirante do Pouso do Rochedo, que está a 1.800 metros de altitude. A trilha é bem íngreme, sem trégua. Sobe, sobe, sobe e parece que não chega nunca. Já fizemos trilhas longas, mas essa foi muito cansativa. 
No entanto, valeu o esforço e a persistência!










A noite festinha de nós dois pra comemorar a vida e a lua cheia.





Depois de tanto esforço muscular nos demos de presente um dia nas Bruxinhas do Mato. Banho com ervas e flores e depois massagem. Imagina o que foi isso?













Foi um dia de muito carinho. Valeu bruxinhas Clareane, Sandra e Adriana pelo carinho e cuidado com a gente!

Pra conhecer o lugar temos que andar a pé. Em São Xico o "fervo" fica em uma única rua, que desemboca na praça com seu coreto e igreja.









Nas lojas em que passamos sempre rolava um papo gostoso... e o tempo passa.. passa... e a gente nem sente.





Também fizemos uma trilha que inicia dentro do trutário e restaurante Serra das Águas, onde conhecemos 3 quedas d'água, mas a última... sem palavras para descrever tanta beleza.















Depois de tanta conversa, tanto prazer em compartilhar momentos felizes, fomos almoçar juntos no restaurante do trutário. Que delícia! 




À tarde nos deparamos com tanta alegria na praça... palhaços e crianças.  Feira de Artesanato e Sebo de livros no coreto (o dinheiro das vendas revertido para a Biblioteca Solidária local).









A noite caiu no camping e a fogueira acendeu... bons vizinhos e crianças. Acabou em churrasco!



E conhecemos o Sítio do Picapau Amarelo, em Monteiro Lobato. Imagina a emoção entrar nesse espaço do nosso imaginário infantil. A casa, de 1870, que foi do avô do Lobato, que cresceu correndo por ali. Quando se casou, morou nessa casa por alguns anos, onde escreveu o livro "Reinações de Narizinho". 















Hoje, a casa se mantém conservada em sua arquitetura pela família que comprou o sítio do próprio Monteiro Lobato. Seus herdeiros continuam cuidando com muito carinho dessa propriedade e abrem a casa para visitação, como também para o delicioso almoço, feito na cozinha da casa.









E, para acabar essa viagem com chave de ouro, fomos até a Pedra de São Francisco para ver o pôr do sol. Agradecer a oportunidade de estar ali, nesse lugar tão lindo, cheio de boas energias, paz, tranquilidade e natureza preservada.













E os lugares que pretendíamos conhecer fora de São Xico? Fomos pra lugar nenhum! Todo nosso tempo em São Xico, todo o nosso andar por São Xico!

E o que vamos levar no coração?

O casal, donos do Canto dos Pássaros - Estevan e Tainá - pena não termos fotos de vocês. Mas, estão guardados no coração pela simpatia, atenção e carinho com que nos receberam.

Daniel e Pâmela, do "Pé de Rua", vizinhos de acampada e campistas de alma.


Simone e Paulo- que foi muito bom conhecer.

Fernanda e Fábio - nos esbarramos no caminho pro mirante e depois na cachoeira do trutário. Pessoas tão legais que um dia, quem sabe, a gente se encontre.



E São Xico.

Que nos acolheu e abençoou. 

E tantas coisas ainda pra conhecer que não fomos, né?
E um olha pro outro e faz a pergunta:
- Vamos voltar? 
- Claro que sim!!!  





ATÉ BREVE QUERIDA SÃO FRANCISCO XAVIER...
ETERNAMENTE SÃO XICO NOS NOSSOS CORAÇÕES!!!!!!





6 comentários:

  1. Amei cada detalhe dessa bela viagem. Fiquei com água na boca. Vou escolher a data da minha. Obrigada por compartilhar. �� ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mônica...vale mesmo. Se vc gosta de tranquilidade e natureza, vai gostar sim. Obrigada pela visita no "Caminhando e Acampando".
      Bjs

      Excluir
  2. Que demais esse relato de viagem com ótimas dicas!
    Virei fã de vocês não apenas pelo blog maravilhoso com boas dicas, mas também pelas pessoas maravilhosas que são.
    Um ótimo 2018 para vocês e espero que nesse ano que está entrando surjam muitos relatos de viagens maravilhosas que vocês farão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maurício!
      Tudo bem com vc?
      Que bom que gostou do nosso blog! A gente ama acampar...ficar perto da natureza, conhecer a cultura do lugar e fazer novos amigos...como vcs.
      Que tenhamos um 2018 com muito mais oportunidades de viver no mato e que um dia possamos nos reencontrar!

      Excluir
  3. Olá. Adorei seu post. Eu não consigo falar lá...não atendem. Por qual contato vc conseguiu?

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo belo relato. Incentivador para os que não conhecem SFX e motivador para um retorno dos que já curtiram esse belo lugar.

    ResponderExcluir