terça-feira, 3 de outubro de 2017

Caminhando pra São Francisco Xavier/SP e Acampando no Camping Canto dos Pássaros

No feriado de 7 de setembro fomos pra São Francisco Xavier, distrito de São José do Campos, em São Paulo.

De Niterói/RJ até lá levamos pouco mais de 6 horas, seguindo pela Via Dutra até Caçapava e depois indo em direção a Monteiro Lobato. Foram 30 km a menos do que ir até São José dos Campos e pegar a SP-050. Atravessamos um pequeno trecho de serra onde a estrada era estreita e não havia pavimentação. Se a viagem for durante o dia, recomendamos essa rota, no entanto, se viajar à noite, o melhor é seguir por São José dos Campos.

Fomos devagar, parando, totalmente entregues ao desconhecido. Na verdade a gente não tinha a menor ideia do que iríamos viver nesses dias em São Xico (já com a liberdade e intimidade que nos demos direito, pra chamar o lugar dessa forma)

O Sylvio que é bom de roteiros!  Ele que inicia o processo de descoberta de lugares legais. 

Funciona assim... escolhemos a direção (pro norte ou pro sul?), mais o menos a distância (em tempo, aproximadamente, 6 horas é a nossa distância pra sair e chegar no mesmo dia e montar a "Lindona", ainda com claridade).

Aí começa o GPS (Grandes Pesquisas do Sylvio) daqui de casa a funcionar. 

Pesquisa começa no Google com a busca dos "campings legais".  Ele encontra no site "O CAMPISTA", do Sr. Luiz, no post dos "Melhores Campings".

E aí, foi ler sobre o Camping Canto dos Pássaros... gostou das fotos e informações. Enfim... um camping super bem avaliado. Foi feito contato com o Estevan, dono do Canto dos Pássaros, junto com a Tainá, e fizemos o depósito de 50% do valor do pacote de feriado (diária + café da manhã). 

E fomos animados pra São Xico, seguindo a canção...



Tínhamos  a previsão de uma série de roteiros pra fazermos durante o período que estivéssemos na região, como: Gonçalves, Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí, Monteiro Lobato... 

Fomos recepcionados pelo Estevan, com todo carinho e atenção do primeiro contato. Quase chegar na casa de sobrinhos queridos. (porque poderiam ser nossos sobrinhos ou filhos, já que são um casal bem jovem). Fomos os primeiros a chegar no camping. E a "Lindona" foi pousar sob um pé de manacá florido e perfumado. Quase abracei a árvore de tão linda!




O camping é pequeno. Comporta mais ou menos 10 a 12 barracas, dependendo do tamanho que sejam. Assim, fica um espaço tranquilo pra circulação, onde as crianças podem correr a vontade e os campistas não se sentem apertados em seus espaços.

Só a Lindona

 Camping com lotação máxima

O Canto dos Pássaros é todo gramado e plano, na área das barracas. O terreno da propriedade é em declive e em platôs.

No platô mais próximo à estrada, portão principal, é a casa do Estevam e Tainá, onde fica a recepção e local do café da manhã (sobre as iguarias da Tainá eu falo daqui a pouquinho). Também fica a área de estacionamento.





Existem postes no camping apenas para a iluminação. Não contam com tomadas na área das barracas, mas na sala de convivência e na cozinha comunitária existem tomadas. Energia é 220V.
Assim, se for o caso, leve luminárias ou lampiões para iluminar sua barraca.

Poste e área de fogueira (que ilumina e aquece)








Já que mencionamos a cozinha comunitária,  vamos dizer que é a cozinha mais bem equipada que vimos até agora em um camping. Tem 2 geladeiras, micro ondas, fogão de 4 bocas com forno, duas pias, uma churrasqueira, mesas e bancos. Além disso, panelas, pratos e talhares. Tudo pra se cozinhar lá mesmo.






Existe uma churrasqueira próxima das áreas da barraca.




Os banheiros com mesmo espaço, tanto feminino, quanto masculino: 2 vasos sanitários e 3 chuveiros elétricos. Super limpos, mesmo com a capacidade máxima de ocupação no camping.




O rio que beira o Canto dos Pássaros, é limpo e tem uma pequena área de prainha.



Além das barracas existem os 6 chalés: 3 são com banheiro, frigobar e uma varandinha com vista pro rio e mais 3, apenas apenas com cama. Estes utilizam também o banheiro do camping.


O café da manhã é feito pela Tainá com todo carinho e capricho. Um café com produtos locais, como o leite, queijos e frutas e os pães bolos e geleias são elaborados por ela, com ingredientes integrais e orgânicos, super deliciosos.






No camping não tem sinal de wifi, nem de celular e tv. Dessa forma, você se desconecta do mundo pra descansar da cidade grande e percebe que é possível viver sem tanta informação. Mas, em caso de emergência, se for preciso entrar em contato com alguém ou vice-versa, há o telefone fixo do camping e também pode-se ir até o centrinho de SFX e olhar seu face, whatsapp, e-mails, etc... etc... 

Pra resumir... o Canto dos Pássaros é um camping super bem cuidado. Limpeza impecável. Em todos os espaços nota-se que os donos têm carinho especial  pelo lugar. Esse é um super diferencial.

No dia seguinte a nossa chegada fomos fazer a trilha para o mirante do Pouso do Rochedo. Ele inicia dentro da pousada com o mesmo nome. Para fazer a trilha tivemos que pagar 30,00 por pessoa, o que é um preço bem alto, diga-se de passagem. Mas, a trilha é bem cuidada e sinalizada. 


Pegamos a trilha dos Tropeiros, onde passamos por várias cachoeiras: da Mata, dos Taperás, da Mina e da Escada. 








 Pela Pedra Suspensa com a piscina natural


Percorremos 2 km até o Mirante do Pouso do Rochedo, que está a 1.800 metros de altitude. A trilha é bem íngreme, sem trégua. Sobe, sobe, sobe e parece que não chega nunca. Já fizemos trilhas longas, mas essa foi muito cansativa. 
No entanto, valeu o esforço e a persistência!










A noite festinha de nós dois pra comemorar a vida e a lua cheia.





Depois de tanto esforço muscular nos demos de presente um dia nas Bruxinhas do Mato. Banho com ervas e flores e depois massagem. Imagina o que foi isso?













Foi um dia de muito carinho. Valeu bruxinhas Clareane, Sandra e Adriana pelo carinho e cuidado com a gente!

Pra conhecer o lugar temos que andar a pé. Em São Xico o "fervo" fica em uma única rua, que desemboca na praça com seu coreto e igreja.









Nas lojas em que passamos sempre rolava um papo gostoso... e o tempo passa.. passa... e a gente nem sente.





Também fizemos uma trilha que inicia dentro do trutário e restaurante Serra das Águas, onde conhecemos 3 quedas d'água, mas a última... sem palavras para descrever tanta beleza.















Depois de tanta conversa, tanto prazer em compartilhar momentos felizes, fomos almoçar juntos no restaurante do trutário. Que delícia! 




À tarde nos deparamos com tanta alegria na praça... palhaços e crianças.  Feira de Artesanato e Sebo de livros no coreto (o dinheiro das vendas revertido para a Biblioteca Solidária local).









A noite caiu no camping e a fogueira acendeu... bons vizinhos e crianças. Acabou em churrasco!



E conhecemos o Sítio do Picapau Amarelo, em Monteiro Lobato. Imagina a emoção entrar nesse espaço do nosso imaginário infantil. A casa, de 1870, que foi do avô do Lobato, que cresceu correndo por ali. Quando se casou, morou nessa casa por alguns anos, onde escreveu o livro "Reinações de Narizinho". 















Hoje, a casa se mantém conservada em sua arquitetura pela família que comprou o sítio do próprio Monteiro Lobato. Seus herdeiros continuam cuidando com muito carinho dessa propriedade e abrem a casa para visitação, como também para o delicioso almoço, feito na cozinha da casa.









E, para acabar essa viagem com chave de ouro, fomos até a Pedra de São Francisco para ver o pôr do sol. Agradecer a oportunidade de estar ali, nesse lugar tão lindo, cheio de boas energias, paz, tranquilidade e natureza preservada.













E os lugares que pretendíamos conhecer fora de São Xico? Fomos pra lugar nenhum! Todo nosso tempo em São Xico, todo o nosso andar por São Xico!

E o que vamos levar no coração?

O casal, donos do Canto dos Pássaros - Estevan e Tainá - pena não termos fotos de vocês. Mas, estão guardados no coração pela simpatia, atenção e carinho com que nos receberam.

Daniel e Pâmela, do "Pé de Rua", vizinhos de acampada e campistas de alma.


Simone e Paulo- que foi muito bom conhecer.

Fernanda e Fábio - nos esbarramos no caminho pro mirante e depois na cachoeira do trutário. Pessoas tão legais que um dia, quem sabe, a gente se encontre.



E São Xico.

Que nos acolheu e abençoou. 

E tantas coisas ainda pra conhecer que não fomos, né?
E um olha pro outro e faz a pergunta:
- Vamos voltar? 
- Claro que sim!!!  





ATÉ BREVE QUERIDA SÃO FRANCISCO XAVIER...
ETERNAMENTE SÃO XICO NOS NOSSOS CORAÇÕES!!!!!!





2 comentários:

  1. Amei cada detalhe dessa bela viagem. Fiquei com água na boca. Vou escolher a data da minha. Obrigada por compartilhar. �� ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mônica...vale mesmo. Se vc gosta de tranquilidade e natureza, vai gostar sim. Obrigada pela visita no "Caminhando e Acampando".
      Bjs

      Excluir